Bio

Madalena Nogueira dos Santos, natural da Maia, nasceu em Maio de 1987, licenciou-se na Faculdade de Direito da Universidade do Porto, frequentou o Mestrado em Direito da Empresa e Negócios na Faculdade de Direito da Universidade Católica do Porto e é Advogada. E como livros significam-lhe muito, fundou e coordena hoje a Biblioteca de Nogueira da Maia, cuja abertura ao público está prevista para os próximos anos, com o apoio da Junta de Freguesia e muitas contribuições particulares.

Cedo demonstrou um especial gosto pela história, primeiro reflectindo as suas criações no desenho, até que, por volta dos 12 anos, descobriu o fascínio pela palavra.

Participou em concursos literários no Jornal Comércio do Porto, na secção Cantinho do Nicolau, sendo publicados os seus trabalhos.Madalena Nogueira dos Santos

Terras de Corza

Os seus primeiros esboços de narrativa longa desenvolveram um grupo de personagens que vagueava numa dimensão paralela onde a magia reinava lado a lado com seres imaginários, mas, por volta dos 15 anos, decidiu abandonar o projecto que já contava com centenas de páginas para se dedicar a uma ideia que discretamente lhe encantara a imaginação: as Terras de Corza.

IMG_0999_1

Publicações

Durante dois anos, construiu a intriga do primeiro livro, que, assim que ficou completo, descansou numa estante durante quase um ano. A segunda obra da mesma saga já ocupava as suas horas vagas, quando, por sugestão da família, Madalena Nogueira dos Santos enviou o primeiro original às Edições Gailivro, em busca de uma opinião profissional para corrigir os seus erros e evoluir na expressão escrita. Para sua surpresa, em três meses, a Editora propôs a publicação d’O Décimo Terceiro Poder, cujo lançamento foi celebrado em 2006. Após dois anos e meio de trabalho, A Coroa de Sangue surgiu como o segundo volume da tetralogia e, em 2007, foi editado. Em 2008, a Editora juntou-se com Grupo Leya, adiando o terceiro lançamento para o ano seguinte; em Junho de 2009, por fim, o livro As Tribos do Sul foi publicado.

O quarto e último volume, com o título Os Doze Reinos, chegou às livrarias em Julho de 2010, tendo entrado directamente no TOP 10 Os Mais Vendidos Fantástico & FC da FNAC, onde se manteve por quatro semanas consecutivas, para, logo a seguir, ser imitado pela segunda obra da saga, A Coroa de Sangue.

Em Agosto de 2011, a 1001 Mundos (colecção onde se encontra a saga) anunciou que deixou de fazer parte da Gailivro, passando a apresentar-se sob a chancela da ASA.

Os quatro livros apresentam enredos distintos, de leitura independente da ordem de publicação, que se reúnem numa saga por tudo se passar nas Terras de Corza, um conjunto de fictício de reinos à imagem da Europa central e do sul, na Idade Média (O Décimo Terceiro Poder), no fim do Absolutismo (A Coroa de Sangue) e na Industrialização (As Tribos do Sul), ficando para último o regresso às origens com traços pré-romanos (Os Doze Reinos). Os leitores facilmente detectam os traços de fantasia épica, sem magia nem seres imaginários, e de uma efabulação geopolítica cheia de viagens exóticas e intriga.

Actualmente, Madalena está a preparar o próximo livro, com publicação prevista para 2014.

Participações Literárias

Nas edições de 2006, 2007, 2008 e 2009, foi Júri do Concurso Literário promovido pela Câmara Municipal da Maia, que contou com participações internacionais em crescendo. Em 2009, foi Júri do I Concurso “Novos Talentos Literários” organizado pela Federação Académica do Porto, em conjunto com o escritor Richard Zimler, e mais uma vez em 2010, em parceria com a Dra. Joana Matos Frias, docente da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Foi autora convidada no Fórum Fantástico, o maior evento nacional dedicado à literatura fantástica e ficção científica que se realiza em Lisboa, nas edições de 2006 e de 2010.

Nos primeiros dias de 2011, foi anunciado que venceu o Prémio “Autor(a) Português do Ano – Fantasia” dos My Imaginarium Awards 2010, após o apuramento dos votos virtuais, enquanto a Gailivro arrecadou todos os primeiros lugares nas categorias para Editoras.

Em Abril de 2011 realizou-se o evento “Conversas Imaginárias @ Porto“, que, no fim-de-semana, reuniu autores de várias artes (literatura, desenho, fotografia, concept art, curta-metragens, etc.) influenciados pelo Fantástico, em cuja organização se conta a Autora das Terras de Corza, Rogério Ribeiro, Rui Baptista, Rui Ramos e Inês Botelho.

No final de 2011, foi convidada como administradora do Projecto Trëma, uma oficina de escrita que reúne principiantes e autores publicados, assim como um ponto de encontro da comunidade do Fantástico português.

Em Fevereiro de 2012, aquando do maior festival do fantástico português, Fantasporto, em homenagem aos 30 anos do filme Blade Runner, foi lançada a Antologia de Ficção Científica Fantasporto 2012, que contou com a colaboração de diversos escritores, entre eles, Afonso Cruz, Beatriz Pacheco Pereira e António de Macedo, onde também consta uma história de Madalena Nogueira dos Santos, enquanto autora convidada, obra esta lançada em Portugal pela ASA e no Brasil pela Editorial Tarja.

MEDIA

Desde a primeira publicação, Madalena Nogueira dos Santos tem aparecido em todo o tipo de vias de comunicação (clicar em “Comunidade”) e também visitado dezenas de escolas, livrarias e bibliotecas, apresentando os seus livros e incentivando os mais jovens a ler e a escrever.

Em Julho de 2010, foi a autora portuguesa entrevistada no 1.º PODCAST nacional do mundo literário, da 1001 Mundos (ouvir aqui).

Em Outubro do mesmo ano, foi lançado o 1.º BOOKTRAILER nacional do mundo fantástico , que aborda os quatro livros Terras de Corza, onde Madalena Santos surge como uma contadora de histórias. (link)

De Abril a Agosto de 2011, foi convidada especial no programa de Rádio “Minissaia e Saltos Altos” da Rádio 5 (100.8FM), onde quinzenalmente abordou temas literários, políticos e jurídicos.

IMG_0970_1

Outras paixões

Outra sua paixão é a música. Concluiu com distinção o curso de teclado electrónico na Escola de Música Fernando Carneiro e fez parte do Coro Sénior da Associação Académica e Cultural de Ermesinde. Experimtou a diversão de uma banda de amigos… E decidiu aprender canto e piano na Academia Régia. Muito recentemente ingressou no Ensemble Vocal Pro Música; uma experiência de outro mundo (link), onde é Soprano entre cerca de 80 vozes que cantam repertório ecléctico, regularmente em parceria com a Orquestra do Norte, dentro e fora do país.

Foi elemento Interact do Clube Rotary de Ermesinde. Hoje, é Voluntária de Apoio Geral da Cruz Vermelha Portuguesa, núcleo da Maia, e elemento do Banco do Tempo de Valongo.